Polícia

Mulher era agredida e estuprada dentro de pousada desde o dia 6 de junho

Viaturas da Polícia Civil durante operação. Foto: Divulgação/PC

A mulher que foi resgatada na terça-feira (06) depois de ter sido mantida em cárcere privado por dois meses pelo marido, relatou à Polícia Civil que era vítima não apenas de violência psicológica, mas também física e sexual. O homem, identificado como Celso Maldonado Freitas, de 36 anos, morreu em confronto com policiais em pousada no município de Ladário, a 426 quilômetros de Campo Grande, onde deixava a esposa trancada.

Em depoimento, a mulher informou que se relacionava há aproximadamente um ano com Celso, e que nos três primeiros meses ele apresentou comportamento normal, porém, depois foi ficando violento. No dia 6 de junho eles foram para a pousada, onde ela passou a ficar presa no quarto e sem ter contato com ninguém. Lá, era constantemente estuprada e agredida por Celso, sob ameaça de morte. O homem ameaçava matar também os filhos dela.

Conforme o depoimento, Celso ainda teria confessado à vítima que matou um dos ex-maridos dela e falava frequentemente que se ficasse frente à frente com a polícia, poderia até ser morto, “mas levaria um policial com ele”. A mulher tinha algumas cicatrizes pelo corpo, segundo ela, causadas pelas agressões do marido, que chegou a esfregar seu rosto nas paredes do quarto onde era ficava presa.

Ela relatou ainda que o homem tentou matá-la diversas vezes por asfixia. Conforme o delegado Luca Venditto Basso, responsável pelo caso, Celso estava hospedado na pousada com nome falso e tinha um mandado de prisão em aberto com pena de 36 anos de prisão, por homicídio, latrocínio, roubo, entre outros crimes que praticou. Uma testemunha suspeitou da situação e acionou a Polícia Militar que, por sua vez, informou a Polícia Civil.

Foi montada uma operação de resgate na terça-feira e, durante a ação, Celso sacou um revólver calibre 357 e efetuou dois disparos contra os policiais, que revidaram. Na troca de tiros o criminoso foi alvejado, sendo de imediato socorrido e encaminhado ao pronto socorro local, mas não resistiu e morreu. No mês passado, Celso roubou uma advogada de 35 anos em Campo Grande e a manteve como refém. Além disso, foi condenado por aplicar golpe contra um ex-deputado estadual na compra de uma fazenda, na ordem de R$ 4,025 milhões.

Comentários