Polícia

Sem corpo, polícia reconstitui morte de servidora desaparecida há quase 2 meses

A Polícia Civil irá fazer nesta quinta-feira (5), a reprodução simulada do desaparecimento da servidora Nathalia Alves Corrêa Baptista, de 27 anos, ocorrido em Porto Murtinho, a 454 quilômetros da Capital. Ela sumiu no dia 15 de julho. Duas pessoas foram presas suspeitas do crime.

A simulação vai acontecer, apenas, com a presença da amante do gerente que está presa, segundo om delegado João Cleber. Os dois firam presos suspeitos do crime, mas negaram a todo momento em depoimento que tenham participação no sumiço de Nathalia. O horário da simulação não foi revelada pelo delegado para não atrapalhar a ação.

A suspeita é de que o corpo da servidora tenha sido jogado no rio, o que dificultaria encontrar a servidora. No dia 24 agosto a amante do gerente, que já estava preso, também foi detida.

A mulher em depoimento só deu respostas evasivas e não soube explicar as mensagens trocadas com o gerente no dia do desaparecimento de Nathalia. Ela também teria mentido sobre o celular fornecendo um outro aparelho a polícia.

Quando identificado que ela teria entregado o aparelho errado, ela teria dito que perdeu o celular não sabendo onde estava. O gerente que está preso também não soube explicar sobre as trocas de mensagens entre os dois. Eles negam qualquer relação com o desaparecimento de Nathalia.

Comentários