Polícia

Vereador e diretor de escola nega que tentou beijar adolescente antes de prova

Foto: Divulgação

Diretor de uma escola estadual e também vereador da cidade de Bodoquena, a 260 quilômetros de Campo Grande, negou que tentou beijar a boca de uma aluna de 15 anos antes da aplicação de uma prova na última sexta-feira (20). Ele procurou a delegacia para registrar boletim de ocorrência contra a mãe da adolescente que denunciou o abuso.

Ele contou que procurou a delegacia de Polícia Civil para registrar a ocorrência nesta segunda-feira (22), já que afirma que mãe e filha estão mentindo sobre a acusação. Conforme ele, tudo seria “politicagem”.

O vereador ainda contou que não é a primeira vez que levantam calúnias contra ele e que um grupo teria espalhado uma postagem no Facebook, onde afirma que o diretor está assediando alunas por meio das redes sociais e aplicativo de mensagens. “É uma história mentirosa e confusa de uma aluna indisciplinada, mas a verdade será mostrada”, afirmou à reportagem.

Uma adolescente de 15 anos procurou a delegacia de cidade de Bodoquena, segundo ela, depois que o diretor da escola e também vereador na cidade tentou beijar a sua boca durante a aplicação de uma prova, na última sexta-feira (20). A menina foi acompanhada da mãe até a delegacia, onde contou que teria pedido para uma professora adiantar a aplicação de uma prova que faria no sábado (22) já que estava com viagem marcada. A professora, então, pediu que a adolescente fosse até a sala da direção para realizar a prova.

Chegando na direção só estava o diretor da escola, conforme a ocorrência, que pediu que a garota se sentasse na cadeira lhe dando a prova em seguida. O suspeito teria tentado ligar o ar-condicionado, mas como estava sem pilhas saiu da sala por alguns instantes voltando minutos depois. Quando retornou pediu para que a aluna se sentasse em outra cadeira por causa do ar.

Quando a menina mudou de cadeira, o diretor se sentou ao seu lado e começou a passar as mãos em seus ombros e pescoço, conforme a denúncia. Incomodada, a aluna teria dito ao suspeito, que quando ele saísse da sala era para fechar a porta, mas ele continuou na sala e tentou beijar a boca da adolescente que se esquivou.

Novamente, o homem tentou beijar a aluna que virou e o diretor acabou beijando seu rosto. Ele saiu da sala e assustada a menina ligou para o namorado que mandou que ela procurasse a professora. A adolescente foi atrás da professora e lhe contou o que havia acontecido. O diretor ainda teria ido atrás da aluna para falar com ela, mas como a garota começou a gritar e ele foi embora.

A mãe da adolescente foi chamada na escola e junto da filha procurou a delegacia da cidade.

Segundo o diretor, não há ar-condicionado na sala da diretoria da escola, o que segundo ele, mostra que não há veracidade na denúncia.

Comentários