Polícia

Dono de lava rápido morto por pistoleiro usava comércio como fachada para o tráfico

midia max

“Traficante da pesada”, afirma policial sobre Rodrigo Gonçalves de Oliveira, o Digão, executado com oito tiros em Dourados
Helio

Executado com oito tiros de pistola 9 milímetros por quatro matadores na tarde de ontem (24), Rodrigo Gonçalves de Oliveira, 31, o Digão, vendia drogas na região leste de Dourados, cidade a 233 km de Campo Grande. A polícia estava no encalço dele e chegou a levá-lo para a delegacia no segundo semestre do passado, mas por falta de provas, Rodrigo foi liberado.

“Traficante da pesada”, disse ao Campo Grande News na manhã desta quinta-feira um policial que investigava Rodrigo Oliveira. A reportagem apurou que ele usava um lava rápido como fachada para o negócio criminoso. Quando foi morto ontem, tomava tereré em frente ao estabelecimento, localizado na Rua Tuiuiú, no Jardim Pantanal.

Uma câmera de segurança instalada perto do local do crime gravou o momento em que quatro homens em duas motos chegaram ao local e um dos caronas começa a atirar. Rodrigo levou quatro tiros nas costas e outros quatro na nuca, disparados a curta distância.

As imagens mostram uma criança correndo para o outro lado da rua assim que os pistoleiros chegam e uma caminhonete com baú acelerando para deixar o local assim que os tiros começam a ser disparados.

A execução será investigada pela 2ª Delegacia de Polícia de Dourados, responsável pela área onde ocorreu o crime. Familiares contaram que Digão sofria ameaças de morte. A polícia suspeita que a morte tenha ligação com a disputa pelo controle dos pontos de venda de drogas.

Comentários