Polícia

Funcionário da UPA trata criança de forma agressiva na hora da medicação e vai parar na delegacia

Foto: Henrique Kawaminami/Arquivo

Uma mulher procurou a Delegacia Civil, na madrugada deste domingo (28), após um técnico de enfermagem ter supostamente tratado de forma agressiva ela e a filha de 4 anos, na UPA (unidade de Pronto Atendimento) Coronel Antonino, em Campo Grande.

Conforme Boletim de Ocorrência, a jovem levou a criança até a Unidade para tomar medicamento para otite. Ao ser chamada pelo técnico de enfermagem para aplicação do remédio, o profissional teria dito para a mãe “ir logo para o outro lado e andar logo”.

A mulher contou que estava esperando a outra técnica de enfermagem sair da enfermaria para que ela pudesse entrar, já que o espaço entre os berços era pequeno. Neste momento, segundo o registro, o profissional pegou o braço da criança, deu um puxão e gritou para ela “parar com o braço e não mexer a mão”. Após intervir e dizer que a criança tem somente 4 anos, a mãe ligou para o companheiro e pediu que ele fosse até a UPA.

Quando o marido chegou, ainda conforme o relato, a mulher disse que iria até a administração. Ao ouvir a conversa do casal, o servidor da saúde teria gritado para ela não procurar ninguém e que era para resolver tudo com ele. O técnico de enfermagem ainda teria dito que “havia estudado para estar ali.”

Diante da confusão, outras mães relataram que o autor já tinha tratado outras pacientes com agressividade. O funcionário se defendeu dizendo que era o “jeito de falar”, mas o caso foi parar na Delegacia.

Comentários