Polícia

Com medo de morrer, guarda municipal suplica transferência para presídio

Foto: Reprodução

Com medo de morrer, o guarda municipal Marcelo Rios suplicou com carta escrita de próprio punho ao juiz da 1º Vara Criminal em Campo Grande, Roberto Ferreira Filho, a sua transferência para o Centro de Triagem do sistema penitenciário estadual.

No pedido escrito por Marcelo, ele relata não se sentir seguro onde está preso, uma cela do Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Bancos, Assaltos e Sequestros) afirmando “preciso sair daqui urgente”.

O pedido de transferência foi feito pela defesa do guarda, na última sexta-feira (24) alegando que no Garras não há estrutura para manter o isolamento de Marcelo. Ele está preso desde o dia 19 deste mês, quando foi abordado pelos policiais do Garras na rua Rodolfo José Pinho. Com ele, os policiais encontraram uma pistola e munições.

Já em uma casa, no bairro Monte Líbano, foi encontrado um arsenal de grosso calibre avaliado em mais de R$ 200 mil. Ao todo, foram encontradas quatro carabinas 556, 11 pistolas nove milímetros, uma arma calibre 12, outra arma longa calibre.22, um revólver 357, quatro pistolas .40, um calibre 380, uma pistola calibre 22, além dos dois fuzis AK47. Também foram apreendidos silenciadores e carregadores, além de bloqueadores de tornozeleiras eletrônicas.

No dia 22 deste mês, foi determinado a instauração de um PAD (Procedimento Administrativo) contra Marcelo Rios. A determinação do PAD foi publicada no Diário Oficial, sendo assinado pelo Secretário Especial de Segurança e Defesa Social, Valério Azambuja, que determinou que sejam apuradas as irregularidades funcionais cometidas pelo servidor. Com o fim do processo administrativo o guarda municipal deverá ser demitido.

Comentários