Esportes

Felipe Melo revela choro abraçado a Felipão após "expulsão mais dolorosa" no Palmeiras

Divulgação

Cartão vermelho precoce quase comprometeu classificação na Libertadores em 2018

O cartão vermelho recebido aos três minutos da partida contra o Cerro Porteño, no ano passado, que quase comprometeu a classificação do Palmeiras às quartas de final da Libertadores, foi um dos quais Felipe Melo mais se arrepende na carreira.

O volante revelou ter chorado tanto no vestiário da arena do Palmeiras quanto em uma conversa a sós com Luiz Felipe Scolari, dias depois, na sala do treinador na Academia de Futebol.

– Foi quiçá a (expulsão) mais dolorosa da minha carreira. Fui numa volúpia muito grande. O Felipão tinha batido muito na tecla de entrar ligado, na preleção. Foi muito doloroso para mim esse cartão, fiquei de joelho o jogo quase todo, chorava bastante no vestiário – contou Felipe Melo, na noite desta segunda-feira.

– Dois dias depois, o Felipão me chama na sala dele, e ali eu chorei abraçado com ele. Ele chorou comigo naquele momento. Não posso fazer um cara desse ficar triste. Ele está puxando minha orelha, mas está me dando um abraço. Não é um treinador jovem que vai fazer isso, com todo respeito, mas isso é experiência – acrescentou o volante.

Também nesta segunda-feira, o jogador de 35 anos reconheceu seu lado explosivo e afirmou ter aprendido com alguns episódios ao longo da carreira, como o pisão em Robben, que também lhe custou um cartão vermelho na eliminação do Brasil para a Holanda, nas quartas de final da Copa do Mundo de 2010.

– Se fosse o jogo amanhã, não teria tido a atitude que eu tive. Hoje estou muito mais maduro – comentou, com uma ressalva.

– Mas também não sei se eu estivesse no 7 a 1, se estivesse 3, 4 a 0 (para a Alemanha, na semifinal de 2014), e alguém começasse a fazer uma gracinha, eu não sei... É muito relativo. Você representa milhões de pessoas, sua nação. É muito complicado, muito momento. Hoje, eu não faria. Mas serviu muito como aprendizado – disse.

Comentários