Polícia

Prefeitura é condenada a pagar R$ 80 mil a pais de menina que morreu após ser picada por escorpião

Foto: Tatiane Queiroz

Caso ocorreu na Capital.

A Justiça determinou que a prefeitura de Campo Grande pague R$ 80 mil em indenização aos pais de Maria Eduarda Rissi, que morreu em 2011, com apenas 3 anos de idade depois de ser picada por um escorpião que estava dentro do sapato dela. De acordo com a sentença, houve negligência por parte da prefeitura e também falha na prestação do serviço de socorro médico.

Na época, Valmir Rissi José, pai da menina, reclamou ao G1 que acionou o Samu e pediu atendimento, mas não obteve o serviço. Nos autos, os responsáveis ainda informaram que no dia do fato, solicitaram uma ambulância, porém, o Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) negou-se a buscar a criança com o argumento de que não havia veículos disponíveis. Diante da dificuldade, o avô paterno levou a criança de carro até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

Conforme a decisão, mesmo diante da situação, a menor recebeu apenas soro fisiológico e ficou em observação por 6 horas. Os pais ainda informaram que os profissionais não teriam aplicado soro antiescorpiônico e que a falha no procedimento agravou o quadro da vítima, pois o veneno se alastrou com maior rapidez no organismo.

A prefeitura contestou que o atendimento proporcionado no âmbito da rede pública básica de saúde foi condizente com a estrutura de um posto de saúde, que não possui soro antiofídico, tampouco laboratório.

O juiz responsável pela análise dos autos, Marcelo Andrade Campos Silva, destacou que não se trata, de fato, de erro médico, mas de falha na prestação do serviço público e ineficiência dos serviços prestados.

Comentários