Polícia

Rapaz preso por agredir e ameaçar grávida teria sido batizado pelo PCC e iria aplicar disciplina em jovem

O rapaz de 22 anos preso neste sábado (13) depois de ameaçar e manter a companheira em cárcere privado teria dito que mataria tanto a mulher como o bebê do casal jogando o corpo da jovem no Inferninho, segundo relatos da vítima. O autor passa por audiência de custódia nesta segunda-feira (15).

A jovem foi levada da casa da mãe sob ameaças de uma faca no pescoço, depois de ter a barriga esmurrada e ser puxada pelos cabelos. Na casa do rapaz, ela foi mantida em cárcere privado sendo ameaçada a todo o momento.

Segundo relatos da vítima, ele teria dito que a levaria até o Inferninho e a mataria junto do bebê, já que não tinha mandado ela engravidar e que não queria a criança. Quando estava presa na casa, outros dois homens chegaram a residência e o companheiro teria dito a ela, que havia sido batizado pela facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), e que iria lhe aplicar um castigo, já que estava muito rebelde.

Um dos homens que estavam na casa impediu o autor de agredir a mulher, que está grávida de 7 meses. A polícia foi chamada pela mãe da jovem, e quando chegou a casa do rapaz pela janela viram a jovem sentada no chão próximo ao banheiro.

Foi dada voz de prisão a ele, que negou todos os fatos dizendo não ter agredido a jovem e também que não faria parte da facção PCC. Ele passa por audiência de custódia nesta segunda (15), onde será determinada ou não pela sua prisão preventiva.

Comentários