Cassado por compra de votos, Paulo Pedra é condenado a dois anos por sonegação de imposto

Ele entrou com recurso e existe uma ação para anular a sentença

| TOP MíDIA NEWS/RAYANI SANTA CRUZ


Crédito: André de Abreu/ Arquivo

O ex-vereador Paulo Pedra, cassado por compra de votos em 2012, foi condenado a dois anos e seis meses de prisão em regime aberto. A condenação é pela sonegação de R$ 583.456,65 de impostos em 2007, quando trabalhava como tabelião no Cartório do 3° Ofício de Notas e Protestos de Campo Grande. Além disso, foi fixado o pagamento de 12 dias-multa. 

A denúncia foi oferecida pelo Ministério Público Federal. De acordo com o documento, Paulo Pedra teria deixado de pagar o valor de R$ 583.456,65 em impostos naquele ano. A Receita Federal estima que o débito atualizado seria de R$ 1,2 milhão.

Ao TopMídiaNews, o ex-vereador disse que recorreu da decisão e que agiu corretamente em todos os outros anos, e não seria somente em 2007 que deixaria de pagar os impostos.

“Já recorri. Tem que recorrer e eu tenho uma ação para anular. Porque todos os outros anos estão absolutamente corretos e, neste, ocorreu isso. Imagina, eu não iria sonegar em um ano se em todos os outros sempre fiz tudo de forma correta. Não faz sentido”, disse Paulo Pedra. 

Paulo trabalhava no ‘Cartório do Pedra’ e, segundo a defesa, ele teria dado diversos descontos na cobrança de emolumentos na época, porque a atitude era permitida pelo Tribunal de Justiça de MS. Eles citam que o erro foi não ter declarado esses descontos. 

“É triste, na época sempre foi permitido, por isso que havia esses descontos. E algumas eram até gratuitos e foi aí que a auditoria usou isso. Existe uma ação para anular a condenação e um recurso TRF (Tribunal Regional Federal)”, explicou Paulo Pedra. 

Em 2012, Paulo Pedra teve o mandato cassado por compra de votos e perdeu mandato na Câmara de Campo Grande. 



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE