MS terá mais 13 mil testes de Covid-19 na próxima semana

São 3 mil de biologia molecular enviados pelo Ministério da Saúde e 10 mil comprados pelo Estado

| CORREIO DO ESTADO / DAIANY ALBUQUERQUE


Testes para detectar o novo coronavírus devem chegar no próximo domingo - Valdenir Rezende/Arquivo Correio do Estado

O secretário de Saúde do Estado, Geraldo Resende, afirmou que na próxima semana Mato Grosso do Sul deverá conta com mais 13 testes para detecção da Covid-19, o novo coronavírus. São 10 mil testes comprados pelo Governo do Estado e outros 3 mil que serão encaminhados pelo Ministério da Saúde.

“Todos os processos de compra da Secretaria de Saúde do Estado estão bem adiantados, nós temos a expectativa que na próxima semana já ter um número de testes de biologia molecular bastante expressivo. Houve a informação hoje, do Ministério da Saúde de envio, e deve chegar até domingo (5), mais 3 mil testes de biologia molecular, isso deve nos dar mais força', declarou Resende por meio de coletiva na manhã desta quinta-feira (2).

Os testes comprados pelo governo também devem chegar no mesmo prazo e com esse reforço o secretário afirma que algumas mudanças serão feitas. “Vamos construir uma logística com o município de Campo Grande, de ter novo encaminhar da feitura dos testes na Capital e depois expandir para as outras cidades macrorregiões do Estado'.

Ainda de acordo com o secretário, maquinários que estavam sendo usados em pesquisas por todo o Estado, além de equipamentos do Hemosul, Embrapa e Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), poderão auxiliar na expansão desses exames. “Daqui a pouco podemos descentralizar a feitura dos exames para algumas cidades do nosso Estado'.

Resende também voltou a alertar para o isolamento social como a melhor forma de evitar o aumento do contágio. “As semanas próximas serão decisivas, se nós queremos evitar mortes em Mato Grosso do Sul, se queremos evitar um quantitativo muito maior, haveremos de poder dar nossa contribuição e seguir as orientações das autoridades sanitárias'.

“São Paulo houve um crescimento assustador no dia de ontem e lógico que pode apresentar um crescimento muito grande hoje e como estamos muito próximos de São Paulo é preciso que a gente redobre a vigilância para que a gente não tenha o quadro muito parecido com São Paulo nas próximas semanas', alarmou o secretário.

De acordo com o boletim epidemiológico divulgado hoje, Mato Grosso do Sul tem 53 casos confirmados, dois a mais que nos dados de ontem. Ao todo são 607 notificações da doença, sendo que 28 ainda estão sob investigação e 515 foram descartados, além de 11 excluídos. Uma pessoa morreu no Estado até agora pela doença, em Dourados, porém, seu primeiro atendimento foi em Batayporã.

Campo Grande continua sendo a cidade com o maior número de casos confirmados, 38 dos 53, entretanto a maioria já finalizou a quarentena e apenas cinco permanecem internados, sendo que um deles se trata do cônsul da Síria, Kabril Youssef, que está no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo. 

Os novos casos são de Dourados – um homem de 35 anos que teve contato com viajantes de São Paulo e do Paraná e está internado –, e outro em Batayporã – uma mulher de 31 anos que teve contato com um caso confirmado e está em isolamento domiciliar.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE