Volkswagen Tarek fica para 2021 por conta do coronavírus

| NOTICIAS AUTOMOTIVAS


Foto: Divulgação

A Volkswagen já reabriu sua fábrica em General Pacheco, província de Buenos Aires, mas ainda em ritmo lento e com toda a precaução por causa do coronavírus. Nesse retorno, porém, os dois meses parados não serão compensados em 2020.

Assim, todo o cronograma da montadora alemã para novos lançamentos ficou comprometido e o principal deles, o Volkswagen Tarek, ficou para 2021, mais exatamente para o mês de maio.

O SUV médio que se posicionará abaixo do Tiguan Allspace, é a principal cartada da VW para elevar suas vendas no segmento e tentar repetir o sucesso do Jeep Compass, que tomou para si esse nicho.

Com 4,45 m de comprimento e 2,68 m de entre eixos, o Tarek (nome definitivo ainda não divulgado) será um pouco maior que o rival da FCA e pouco menor que o Tiguan alemão.

Tendo como foco atuar como intermediário entre T-Cross (Nivus?) e Tiguan Allspace, o Tarek será um projeto para as Américas, envolvendo ainda a produção em Puebla, México.

O objetivo é atuar no mercado norte-americano, ocupando o lugar que fora do Tiguan Limited, a geração antiga do SUV que era feita em Osnabrück, ex-sede da Karmann.

 

Por aqui, a receita será o uso do motor EA211 1.4 TSI Flex com 150 cavalos e 25,5 kgfm, bem como transmissão automática Tiptronic de seis marchas, deixando a DSG de dupla embreagem para o Tiguan importado do México.

Se a VW quiser mesmo bater de frente com o Jeep Compass em todo o termo, então teria que apostar ainda em um motor 2.0 TSI de 186 cavalos e 32,5 kgfm para versões mais caras.

Talvez até um diesel 2.0 TDI com 170 ou 180 cavalos, tendo este transmissão DSG e tração 4Motion, seria viável para pegar o jipão 4×4. A diversidade da gama pode favorecer o Volkswagen Tarek, assim como no SUV da Jeep, mesmo com o Tiguan Allspace (somente com 7 lugares).



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE