Capitão Contar pede reforço policial e estratégia no combate ao tráfico de drogas

| ALMS


Foto:Divulgação

O deputado estadual Capitão Contar apresentou duas indicações sobre segurança pública para Campo Grande. Os pedidos surgiram após reclamações de populares que procuraram o gabinete para denunciar os crimes de roubos, furtos e tráfico de drogas.

Uma forma que garantir o serviço público da segurança, é dar celeridade ao curso de formação dos policiais civis e militares. Que foi suspenso por conta da pandemia do coronavírus. Entretanto, é necessário que haja a segurança dos concursados, com medidas de biossegurança. Desta forma, a população sul-mato-grossense teria um aumento do efetivo nas ruas.

Dados à época, em 2018, informava a necessidade pelo menos 5.040 novos policiais para atender a atual demanda da segurança pública de todo o Estado. O concurso foi aberto com 438 vagas, porém, até o momento, as etapas para atuação desses servidores não foram concluídas. 

Indicação

Os moradores informaram que os assaltos têm ocorridos em horários comerciais, onde precisam pegar o transporte coletivo urbano, que acabam demorando mais tempo por conta da pandemia. E que, com a falta de rondas, também tem as casas invadidas e os bens furtados.

Moradores do Leblon e Ramez Tebet relataram a necessidade de rondas ostensivas na região. Além disso, os cidadãos informaram que com a sensação de insegurança na região, o aliciamento ao tráfico de drogas está se tornando mais evidente. O que gera medo às famílias.

De acordo com dados da Sejusp/MS (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública de Mato Grosso do Sul), de abril a junho deste ano em Campo Grande foram registrados 2.563 furtos, 2.558 roubos e 245 drogas.

Com os relatos, o deputado estadual pede providências para que as rondas ostensivas sejam mais presentes nestas regiões. O documento foi encaminhado ao Governo do Estado e ao secretário da Sejusp/MS.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE